Clinica de Recuperação Tratamento de Dependência Química e Tratamento do Alcoolismo

Tratamento Dependência Química

tratamento de dependência química

Tratamento da dependência química

Para muitas pessoas, o primeiro passo para a recuperação é reconhecer sua luta pessoal contra a dependência química. A próxima etapa é encontrar um programa de tratamento para dependência química que possa ajudar a restaurar sua saúde geral, bem-estar e felicidade.

O Tratamento da Dependência Química contém métodos especializados que restauram a saúde, o bem-estar e o amor pela vida do paciente. Os métodos de tratamento da Dependência Química, desenvolvidos pela Saúde Premium buscam a restauração da vida como um todo, através de atendimentos individuais personalizados e intensivos com programas terapêuticos especializados, que tratam as áreas emocionais, física e psicológica de nossos pacientes.

O Tratamento da Dependência Química pode ocorrer em vários contextos, assumir muitas formas diferentes e durar diferentes períodos de tempo. Como o vício em drogas é tipicamente um transtorno crônico caracterizado por recaídas ocasionais, um tratamento único de curto prazo geralmente não é suficiente. Para muitos, o Tratamento da Dependência Química é um processo de longo prazo que envolve múltiplas intervenções e monitoramento regular.

O que é dependência química?

A dependência química é uma doença primária em que uma pessoa se torna viciada em drogas ou álcool. Pessoas com dependência química continuam usando drogas ou álcool, mesmo sabendo que o uso contínuo causa danos ao corpo, família, finanças e todos os outros aspectos da vida. Isto não é porque eles querem destruir suas vidas; a maioria das pessoas dependentes químicas deseja parar de usar, mas simplesmente não consegue. Seus corpos são quimicamente dependentes da droga para funcionar. Abandonar sua substância viciante leva-os à abstinência – a reação do corpo por não ter a substância química da qual agora depende. Por esse motivo, a transição do vício ativo / dependência química para a recuperação do vício é uma das coisas mais difíceis de enfrentar. Muitos passam por isso mais de uma vez. Encontrar o melhor tratamento e seguir um plano de recuperação é a melhor maneira de vencer a doença.

Sintomas da Dependência Química

Muitas vezes você pode determinar se um vício se transformou em dependência observando o comportamento. Quando uma pessoa viciada em drogas não as toma há algum tempo, isso pode causar uma reação física. Os sintomas físicos de abstinência ocorrem quando o corpo fica estressado sem a droga. Esses sintomas incluem:

  • Ansiedade
  • Depressão
  • Fraqueza muscular
  • Pesadelos
  • Dores no corpo
  • Sudorese
  • Náuseas

Quais são as causas da Dependência Química?

Não existe uma causa única para a dependência química, em vez disso, existem várias causas que podem ser agrupadas em quatro categorias básicas. Essas quatro categorias são: causas biológicas, causas psicológicas, causas socioculturais e causas espirituais. Os psicólogos chamam isso de modelo bio-psico-social-espiritual da dependência química. Em geral, entendemos que todos estão inter-relacionados. Portanto, cada um desses quatro fatores contribui de alguma maneira para a formação da dependência química.

As causas biológicas da dependência química incluem a fisiologia e a genética únicas de cada pessoa. As pessoas diferem no grau em que gostam ou não gostam de uma determinada substância ou atividade viciante. Algumas pessoas podem gostar tanto de uma substância ou atividade que se torna muito tentador e difícil de resistir. Outra pessoa não experimentaria essa dificuldade porque não experimenta um gozo semelhante. Da mesma forma, a capacidade de moderar desejos impulsivos com pensamento racional é uma função cerebral que varia entre diferentes pessoas. Algumas pessoas podem ter uma deficiência na capacidade de resistir a certos tipos de impulsos. Assim, essas pessoas estariam em maior risco de desenvolver um vício por causa de sua vulnerabilidade genética. Curiosamente, mesmo o funcionamento normal do cérebro humano e sua química tornam as pessoas vulneráveis ​​ao vício. Nossa química e funcionamento normais do cérebro nos motivam a repetir comportamentos que são prazerosos (por exemplo, sexo, comer). A repetição desses comportamentos garantiu a sobrevivência de nossa espécie. Infelizmente, também torna os seres humanos vulneráveis ​​ao desenvolvimento do vício em substâncias e atividades nocivas que são prazerosas.

Psicologia também nos ajuda a compreender as causas da dependência química. O vício é um comportamento prejudicial. A pesquisa psicológica nos ajudou a entender por que as pessoas repetem certos comportamentos, mesmo quando esses comportamentos são prejudiciais. Isso ocorre porque as pessoas aprendem a antecipar algum benefício do vício, mesmo que seja prejudicial. Esses benefícios podem variar de redução do estresse, alívio do tédio, sensações de prazer, lidar com sentimentos ou situações negativas ou simplesmente o benefício de evitar sintomas de abstinência. As pessoas têm habilidades variadas para lidar com emoções ou circunstâncias desagradáveis. Quando as pessoas têm habilidades de enfrentamento fracas, elas ficam mais vulneráveis ​​ao vício. Da mesma forma, as pessoas apresentam graus variados de estresse e habilidades variadas na redução do estresse. Pessoas com alto estresse, que não têm habilidades para reduzir o estresse, também são mais vulneráveis ​​ao vício. A pesquisa psicológica também nos ajuda a entender que a motivação é crítica. Sem motivação suficiente, as pessoas não podem mudar facilmente comportamentos prejudiciais à saúde. O simples fato de estar ciente de um problema com o álcool costuma ser uma motivação insuficiente para interromper um comportamento pouco saudável. No entanto, os psicólogos podem ajudar a fortalecer a motivação das pessoas por meio de terapia e técnicas especializadas. Muitos distúrbios psicológicos, como depressão e ansiedade, freqüentemente ocorrem simultaneamente com o vício. Esses outros distúrbios psicológicos tornam as pessoas mais vulneráveis ​​ao vício. Isso ocorre porque as pessoas podem usar álcool para aliviar temporariamente os sintomas desagradáveis ​​desses distúrbios. O simples fato de estar ciente de um problema com o álcool costuma ser uma motivação insuficiente para interromper um comportamento pouco saudável. No entanto, os psicólogos podem ajudar a fortalecer a motivação das pessoas por meio de terapia e técnicas especializadas. Muitos distúrbios psicológicos, como depressão e ansiedade, freqüentemente ocorrem simultaneamente com o vício. Esses outros distúrbios psicológicos tornam as pessoas mais vulneráveis ​​ao vício. Isso ocorre porque as pessoas podem usar álcool para aliviar temporariamente os sintomas desagradáveis ​​desses distúrbios. O simples fato de estar ciente de um problema com o álcool costuma ser uma motivação insuficiente para interromper um comportamento pouco saudável. No entanto, os psicólogos podem ajudar a fortalecer a motivação das pessoas por meio de terapia e técnicas especializadas. Muitos distúrbios psicológicos, como depressão e ansiedade, freqüentemente ocorrem simultaneamente com o vício. Esses outros distúrbios psicológicos tornam as pessoas mais vulneráveis ​​ao vício. Isso ocorre porque as pessoas podem usar álcool para aliviar temporariamente os sintomas desagradáveis ​​desses distúrbios.

Influências socioculturais também contribuem para o desenvolvimento da dependência química. Para nossos propósitos, o termo cultura descreve o padrão de valores e crenças aprendido e compartilhado por um grupo. Esses valores e crenças orientam o comportamento dos membros do grupo e suas interações sociais. Quando uma cultura aceita ou tolera o uso de drogas, os membros dessa cultura ficam mais vulneráveis ​​ao vício. A maior influência social é a família. É assim que a cultura é transmitida de uma geração para a outra. As crianças aprendem com seus familiares sobre o uso ou abuso de drogas.

Espiritualidade é outro fator causal que pode determinar se um vício se desenvolve e floresce. A espiritualidade reflete a crença de que a vida tem um significado e um propósito. Esta definição é inclusiva e respeitosa. Inclui as muitas crenças diferentes e específicas que as pessoas têm sobre esse significado e propósito. Para algumas pessoas, a espiritualidade inclui crenças específicas de que há algo maior e maior do que nossa existência individual. As pessoas podem chamar isso de poder superior; um Deus; muitos deuses; a força vital; o universo; Fonte; ou Espírito (para citar apenas alguns). Para outras pessoas, não há poder superior ou religião ligada a essa crença. Essas pessoas obtêm significado e propósito por meio de um conjunto pessoal de valores e objetivos. A falta de significado e propósito na vida leva a uma desconexão de nós mesmos e uns dos outros. À medida que o vício avança, essa desconexão aumenta. Essa desconexão causa uma falha em viver em harmonia com as leis ou princípios universais que normalmente orientam nosso comportamento. Essas leis e princípios universais específicos podem variar de acordo com as diferentes crenças e religiões. No entanto, a falta de uma âncora espiritual também pode levar ao desenvolvimento de um vício.

Sinais da Dependência Química

A dependência química de drogas e álcool geralmente começa como recreativa, em que o indivíduo bebe e / ou faz uso em um ambiente social. A doença é progressiva, o que significa que, com o passar do tempo, ele exibirá uma tolerância maior, frequentemente se envolverá no comportamento e sentirá desejos intensos e sintomas de abstinência. Abaixo está uma lista dos sinais comuns de dependência.

Sinais físicos da Dependência Química
  • Excesso ou pouco ativo (dependendo da droga)
  • Padrões de fala repetitivos
  • Pupilas dilatadas, olhos vermelhos
  • Fungação excessiva e nariz escorrendo (não atribuível a um resfriado)
  • Parecendo pálido ou desnutrido
  • As roupas não combinam
  • Perda de peso
  • Mudança nos hábitos alimentares
  • Odores ou odor corporal incomuns devido à falta de higiene pessoal
Sinais Comportamentais da Dependência Química
  • Faltando trabalho / escola
  • Problemas de trabalho / escola
  • Faltando compromissos importantes
  • Isolamento / sigilo sobre atividades
  • Padrões de sono interrompidos
  • Problemas legais
  • Problemas de relacionamento / conjugais
  • Problemas financeiros (por exemplo, sempre precisando de dinheiro)
  • Conversas dominadas pelo uso ou tópicos relacionados a drogas / álcool
Sinais emocionais da Dependência Química
  • Irritabilidade / Argumentativa
  • Defensividade
  • Incapacidade de lidar com o estresse
  • Perda de interesse em atividades / pessoas que costumavam fazer parte de suas vidas
  • Obnóxio
  • Boba
  • Confuso facilmente
  • Negação
  • Racionalizar – oferecer álibis, desculpas, justificativas ou outras explicações para seu comportamento de uso
  • Minimização – Admitir superficialmente o problema, mas não admitir a seriedade ou abrangência total do comportamento ou consequências
  • Culpar – Colocar a culpa pelo comportamento em outra pessoa ou algum evento
  • Diversão – Mudar de assunto para evitar discutir o assunto

 

Tratamento da Dependência Química

Existem inúmeras opções de tratamento que uma pessoa pode escolher. Por exemplo, algumas pessoas com formas graves de vício entram em um programa de desintoxicação antes de fazer a transição para a reabilitação. Outros podem optar por iniciar a recuperação em uma clínica de recuperação no método de tratamento com internação ou ambulatorial . Após o tratamento, é recomendável continuar reforçando as lições aprendidas na reabilitação, participando de grupos de apoio e sessões de terapia.

O tratamento da dependência de drogas pode incluir medicamentos, terapias comportamentais ou suas combinações em muitos ambientes diferentes, usando uma variedade de abordagens comportamentais e farmacológicas.

 

As terapias comportamentais podem ajudar a motivar as pessoas a participarem do tratamento com drogas, oferecer estratégias para lidar com os desejos por drogas, ensinar maneiras de evitar drogas e prevenir recaídas e ajudar os indivíduos a lidar com a recaída, caso ela ocorra. As terapias comportamentais também podem ajudar as pessoas a melhorar a comunicação, o relacionamento e as habilidades parentais, bem como a dinâmica familiar.

Muitos programas de tratamento empregam terapias individuais e em grupo. A terapia de grupo pode fornecer reforço social e ajudar a impor contingências comportamentais que promovam a abstinência e um estilo de vida sem uso de drogas. Alguns dos tratamentos comportamentais mais estabelecidos, como gerenciamento de contingência e terapia cognitivo-comportamental, também estão sendo adaptados para ambientes de grupo para melhorar a eficiência e o custo-benefício. No entanto, particularmente em adolescentes, também pode haver o perigo de efeitos prejudiciais não intencionais (ou iatrogênicos) do tratamento em grupo – às vezes os membros do grupo (especialmente grupos de jovens altamente delinquentes) podem reforçar o uso de drogas e, assim, inviabilizar o propósito da terapia. Portanto, conselheiros treinados devem estar cientes e monitorar tais efeitos.

Como atuam em diferentes aspectos do vício, as combinações de terapias comportamentais e medicamentos (quando disponíveis) geralmente parecem ser mais eficazes do que qualquer abordagem usada sozinha.

Quais são os tratamentos para a dependência química?

Existem várias terapias para o tratamento da dependência química. Mesmo para um distúrbio grave, o tratamento pode ajudar. Freqüentemente, você receberá uma combinação dessas terapias:

  • Desintoxicação: Você para de tomar drogas, permitindo que elas saiam do corpo. Você pode precisar de supervisão médica para desintoxicar com segurança.
  • Terapias assistidas por medicação: durante a desintoxicação, a medicina pode ajudar a controlar os desejos e aliviar os sintomas de abstinência.
  • Terapias comportamentais: A terapia comportamental cognitiva ou outra psicoterapia (terapia da conversa) pode ajudar a lidar com a causa do vício. A terapia também ajuda a construir a auto-estima e ensina mecanismos saudáveis ​​de enfrentamento.

Tipos de Tratamentos da Dependência Química

Os programas de tratamento são diferentes para cada indivíduo e podem ser personalizados com base em suas necessidades e situações específicas. Os tipos mais eficazes de programas de tratamento garantem que os indivíduos em recuperação estejam ativamente envolvidos em cada etapa do processo.

Tratamento para dependência química com internação

As clínicas de reabilitação oferecem programas de tratamento estruturados, projetados para abordar todas as facetas do vício de um indivíduo. Durante a reabilitação de pacientes internados, os pacientes residem em instalações livres de substâncias e recebem atendimento médico e suporte terapêutico 24 horas por dia.

O Tratamento para dependência química com internação é a melhor opção para indivíduos que lutam contra o vício crônico, bem como para aqueles que sofrem de um transtorno mental ou comportamental concomitante.

Tratamento para Dependência Química Ambulatorial

Reabilitações ambulatoriais são outra forma de atendimento abrangente para vícios. Esses programas oferecem muitos dos mesmos tipos de tratamentos e terapias eficazes que as clínicas de reabilitação de pacientes internados. No entanto, a reabilitação ambulatorial permite que os pacientes vivam em casa durante o processo de recuperação. Os pacientes podem continuar trabalhando e cuidando de suas famílias enquanto frequentam as sessões de tratamento programadas ao longo da semana.

É importante ter em mente que a reabilitação ambulatorial não isola os pacientes do mundo real; portanto, os pacientes correm maior risco de encontrar gatilhos que desafiam sua sobriedade. Por causa disso, a reabilitação ambulatorial é mais adequada para indivíduos com formas leves de vício e uma abordagem disciplinada e comprometida de recuperação. Os programas ambulatoriais também são um excelente programa de “redução” após o tratamento hospitalar e costumam ser combinados com lares que vivem sóbrios .

Saiba mais sobre o Tratamento Ambulatorial para Dependência Química 

Desintoxicação de drogas e álcool

A desintoxicação ajuda as pessoas a abandonar com segurança as drogas ou o álcool até que ele não esteja mais presente em seu sistema. Muitas vezes, é o primeiro passo no tratamento de indivíduos que estão se recuperando de formas moderadas a graves de dependência.

Em alguns casos, a desintoxicação de certos medicamentos requer terapia assistida por medicamentos para ajudar a aliviar a gravidade dos sintomas de abstinência. Os medicamentos prescritos durante a desintoxicação são freqüentemente reduzidos gradualmente até que o paciente não seja mais fisicamente dependente de substâncias viciantes.

Terapias para Tratamento da dependência química

As terapias usadas no tratamento da dependência são baseadas na saúde do indivíduo e nos padrões de abuso de substâncias. As opções de terapia incluem uma série de sessões de terapia individual ou em grupo, normalmente organizadas por conselheiros de dependência.

Terapia cognitiva comportamental

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é usada para ajudar as pessoas em recuperação a descobrir pensamentos ou sentimentos problemáticos que podem comprometer sua sobriedade ou contribuir para uma recaída. Esta forma de terapia também é útil no tratamento de condições concomitantes, como o transtorno bipolar .

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional resgata a autonomia e a qualidade de vida do dependente de drogas e álcool. O dependente químico é um indivíduo que abandonou seus afazeres do cotidiano, suas relações pessoais e familiares, focando-se apenas no uso de tais substância e consequentemente a perda do contato consigo mesmo, causando um grande impacto na esfera biopsicossocial do indivíduo. Dentro destas limitações na vida psíquica, social e produtiva do sujeito, os indivíduos tornam-se potenciais para a intervenção da Terapia Ocupacional.  A Terapia Ocupacional tem como um dos objetivos, resgatar a autonomia, a qualidade de vida e o contato consigo mesmo, centra-se na relação terapeuta-sujeito-atividade. É no fazer, ou seja na ocupação humana, (atividades manuais ou corporais, expressivas, individual ou grupal) que a Terapia Ocupacional traz a possibilidade de auxiliar o paciente em sua busca pela construção e reconstrução de sua história, é buscar a significação nos fazeres, exceto na drogadição. Dentro desse contexto o trabalho da Terapia Ocupacional em conjunto com a equipe multidisciplinar (psicólogos, enfermeiros, psicopedagogos, psiquiatras, educadores físicos) torna-se de fundamental importância para o tratamento de dependentes químicos e alcoólatras.

Terapia Sistêmica

O desenvolvimento da reabilitação do paciente no tratamento contra o uso de drogas e álcool com abordagem terapêutica sistêmica e constelação familiar.

Não importa o quão grave seja a sua dependência química ou a dependência química de um ente querido ou quantas vezes você tenha se submetido ao tratamento, a recuperação é possível e a ajuda está disponível a partir de hoje.

 

Sair da versão mobile