Categorias
Clínica de Recuperação dependência química Tratamento Dependência Química

Posso tratar a dependência química com psicólogo ou psiquiatra?

Essa dúvida é frequente. Qual profissional procurar para que possa me ajudar, ou ajudar meu familiar, meu amigo, meu filho?

Muitos psiquiatras e muitos psicólogos estão capacitados para te ajudar neste momento. Embora haja distinção em suas profissões, em primeiro lugar procure um profissional que alie o tratamento. Infelizmente há profissionais que contraindicam um ao outro, acham desnecessária a psicoterapia por exemplo, e que somente a medicação resolveria “o problema”, ou psicólogos totalmente contra a regulação de humor, por exemplo, com uso de medicamentos.

Dependência Química e o uso nocivo de substâncias psicoativas procuro um psicólogo ou um psiquiatra?

Meu olhar, trabalhando com dependência química, é de que quando há interação entre esses dois profissionais, o resultado certamente se mostra mais eficaz.

Geralmente os pacientes que nunca fizeram acompanhamento psicológico já tentaram várias medicações, que funcionaram por um período, e posteriormente pararam de funcionar. Isso ocorre pelo seguinte: geralmente o paciente desenvolve um transtorno psiquiátrico devido a alguns conflitos internos, problemas pessoais, etc. Vivenciar cronicamente essas situações pode desencadear alterações químicas nos neurotransmissores e o psicotrópico se faz necessário.

Ao utilizar o medicamento o paciente melhora os sintomas e volta a olhar para o conflito que desencadeou o desequilíbrio. Se o paciente não encarar e enfrentar esse conflito, fatalmente terá uma recaída.

Por isso, a importância do acompanhamento psicoterápico! O medicamento ajuda o paciente a reequilibrar a alteração química desencadeada pelos conflitos, e a psicoterapia o ajuda a resolvê-los. (Luciano Lima – psiquiatra).

Assim, como é muito importante, que psicólogos, ao trabalhar com a dependência química, entendam que o uso nocivo das substâncias psicoativas, alteram muito o sistema cerebral, e muitas vezes há comorbidades instauradas pelo uso dessas substâncias que necessitam da farmacologia. As comorbidades psiquiatras mais comuns advém das alterações que as substancias podem causar no psiquismo dos indivíduos, como surtos psicóticos ou alucinações por exemplo.

Então, ao procurar um profissional para te ajudar, orientar, esclarecer, informar, procure por alguém que alie o tratamento, tratando as causas e os sintomas em sincronicidade! Na clínica, durante o processo de internação, há esse tratamento e prezamos pelo tratamento com psiquiatras e psicólogos, entendendo a importância desse trabalho na recuperação dos pacientes, no intuito de trazer equilíbrio, conhecimento e saúde mental.

Solicite agora o tratamento e tenha maiores informações, pela nossa Central de Atendimento ou nos envie um e-mail em nossa página de Contatos.